quarta-feira, 30 de maio de 2012

um dia vi e eu nunca mais esqueci.

Peguem numa folha de papel. Abanem-na. Faz aquele barulho típico de uma folha de papel, certo?  Amarrotem-na. Façam uma bola, se preferirem. Abram a folha de novo e tentem alisá-la o melhor que conseguirem. Se quiserem, peguem no ferro de engomar e passem-na. Depois, abanem-na outra vez. Não faz o mesmo barulho, pois não? Nunca voltará a fazer o mesmo barulho. 
Agora, imaginem que essa folha é o amor. 

8 comentários:

Maria disse...

uau! ...isso é mesmo verdade...

Maggie disse...

lindissimo e mto verdade!

Bjo
Maggie

Este Blogue precisa de um nome disse...

Brutal. Recebi este texto via email, vim a "correr" aqui lê-lo. Está brutal... ;)

Beijo

Preta Rosa-Velho disse...

Maravilhoso, obrigado. Quem escreve assim, sente de verdade. Alguns dos meus amigos virao ca espreitar porque partilhei o seu blog atraves do email. :)

Lua Escondida* disse...

:)
Só para contextualizar, ouvi isto num casamento. O padre fez questão de demonstrar o que era verdadeiramente o amor e o que nós conseguimos fazer com ele!

Preta Rosa-Velho disse...

:) Obrigado por partilhar Lua, o mais importante é a essência da mensagem. Parabéns pelo blog.

Ana disse...

lindooo , lindooo!

sonhosdeumarapariga disse...

Vou partilhar no meu blog, posso?

bjinhoo