segunda-feira, 22 de junho de 2009

Carta VI

Sei que o dia vai chegar. Inevitável. Falta pouco. Muito pouco. E na mala levas um pedaço de mim!
Nesse dia vou ficar a olhar para o céu a ver-te partir. E fico. Só.
Aperto contra o meu peito a imagem da tua presença enquanto deixas comigo o vazio da distância. Voas e cada vez ficas mais longe. Percorro nas memórias os sorrisos e as carícias que tão generosamente me ofereceste e guardo comigo o teu cheiro.
Aprisionar-te-ia nos meus braços, se a vida, mergulhada no seu característico egoísmo assim o permitisse… enquanto voas… para longe de mim.
Já sofro com a tua ausência. Não te sinto mais...
Baixo a cabeça, enquanto desenho estas palavras e imagino abraços que desejo sentir.
Vai então......mas volta para mim.


____________________________
Obrigada WF.
Para participar com cartas (não) sentidas, ver mais aqui.

6 comentários:

Segredo Cor de Rosa disse...

Perfeito Walter. Perfeito. Não esperava outra coisa de si.

Um beijo grande

gimbras.nofuturo.com disse...

Muito bom. :D

Lila* disse...

=)

Só podia ser o Walter!E eu estava mt curiosa para a ler!

Walter Fane disse...

Bjooooooooooooooos

Frida* disse...

Que bonito! =)
Vou ver se escrevo alguma coisa para aqui quando estiver com mais tempinho! :)

*

Anónimo disse...

Hoje lembrei-me!...
Tanto tempo passou desde que "parti".
A carta que escrevi ficou. Bonita recordação. Bonita memória. Bonitas palavras (porque não?!).
Bjoooooooooooooo
Walter Fane (B.)