quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Carta LXXVIII

A falta que me fazes e a falta que eu sinto de ti não são iguais. A que sinto, bem, a que sinto consigo descrever numa única palavra: Devastadora.Devastadora em todos os sentidos. É uma saudade imensa, saudade de tudo o que te envolva.É falta de te mimar, te acariciar, te sentir, te dar. Podia dizer que é falta de te amar mas (in)felizmente amar-te é o que faço de melhor. Esse sim é um acto constante. Porque longe ou perto eu amo-te. Todos os dias, todas as noites. Através de fotos, memórias, pensamentos. Através de ti, de mim e da nossa história.Essa à qual puseste termo, a mesma da qual não consigo desistir assim por "dá cá aquela palha". Sim, eu ainda acredito. Estúpida e inconscientemente ainda creio em nós, ainda acredito que te vou conseguir resgatar de novo, para junto de mim, para o nosso Mundo, aquele do qual nunca devias ter saído, porque sim, aqui é o teu lugar, perto de mim e eu, eternamente, perto de ti.Sim, tu vais voltar, pode demorar a vida inteira, mas irás voltar, porque eu fiz uma promessa, a ti mas principalmente a mim mesma, e ao contrário de ti, eu cumpro o que prometo porque quando o faço, faço com o coração. Tu sim és o Homem da Minha Vida, o Tal, o Único. Eu sei, não importa se sou nova, se tenho uma vida pela frente, se encontrarei outra pessoa, não importa, porque ame eu as pessoas que amar, nunca nenhuma amarei como te amo e sempre amei a ti.Por isso sim, eu vou lutar, por ti, por nós mas acima de tudo pela minha felicidade, que sem dúvida alguma, não depende de ti, mas não se completa sem que cá estejas. Porque eu, eu ainda te sinto em mim, sempre sentirei, tal como estou certa de que tu, tu ainda me sentes em ti. 


...por psfn

5 comentários:

Mia disse...

Sabes uma coisa Lua? Eu devia copiar a tua carta ao meu "ex". Não podia rever-me mais em tudo ou sentir tudo isso que descreves de igual forma. Não está a ser fácil desistir de nós e, tal como tu, tb não aceito.

Lua Escondida* disse...

Mia, a carta não é minha mas entendo perfeitamente esse sentimento. E sei que é cliché mas o tempo cura tudo. Vai andando e vais ver que daqui a pouco vais achar que foi o melhor que te aconteceu :)

Anónimo disse...

Também senti cada palavra que escreveste como minha.. e espero que o tempo cure tudo.

Sofia disse...

É verdade que o tempo cura tudo... mas tb é verdade que cada palavra desse texto é tão profunda e sentida :/ já estive aí, com essas certezas todas... o tempo curou, sim, cura sempre. Mas enquanto dói, dói... bonito texto*

psfn disse...

Obrigada a todos pelos vossos comentários ao meu texto, é bom sentir que alguém me compreende e que as minhas palavras vos tocam. E o facto é que o tempo não cura tudo, apenas disfarça pois a meu ver com o tempo vem a saudade, que deve ser das coisas, senão mesmo a maior, que mais magoa uma pessoa, o tempo apenas nos ensina a viver com a saudade, mas a mágoa do passado nunca ficará curada, sempre que nos relembrarmos dele ela marcará presença.