quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Carta LXXIX


Ontem lutei por ti, hoje escrevi num papel 50 vezes a frase: “Já não te sinto em mim” e amanhã vou te entregar a carta.
Gostar de ti não foi delineado, não me apontes o dedo… aponta o dedo ao meu coração.
O culpado não fui eu… Estou aqui para por um ‘Ponto Final’ à história que não teve inicio, á história que não tem um meio, mas vai ter um Fim, mas antes disso, há umas coisas que tens de saber.
 Não faço questão de ser querido desde já, pois assim chegarás à tua própria conclusão. Só tu sabes quais são as tuas atitudes, só tu sabes as coisas que dizes, só tu sabes as coisas que escreves no teu Facebook; só tu te consideras o Rei dos Reis…
Por vezes, sonhar é bom, é óptimo! Pena quando algo interrompe na melhor parte da ilusão. Não te consideres senhor do teu umbigo, não és superior, e só de teres esses procedimentos, baixas na consideração do “povo”, e numa escala positiva não chegarias ao topo, irias para o menos 0; no ápice.
Eu desabafo com o meu coração e guardo para mim, sim, só eu e o papel sabemos alguns segredos e como eu sei que já mais irás ler estas palavras, digo-te: a cor preta é aquela com que estou a ditar e sabes porque? Amo-te como te odeio, tens momentos tão rebaixantes que te tornas tão insignificante para mim, como para a sociedade (visto que esta  não sabe quem e como és).
Tornas-te mortalmente imortal no meu coração, que a dor sempre vai permanecer quando pensar em ti. Não magoes quem sempre te quis bem, e aprende de vez: ‘O verdadeiro é valido mas nem sempre o valido se torna verdadeiro!’
E quando precisares de um sorriso, olha-me nos olhos primeiro e transmitirei o que sinto!

(A tua homossexualidade e a minha bissexualidade podia ser um dos motivo para que pudéssemos ser felizes, mas infelizmente teres encontrado o teu verdadeiro amor causa-me dores no coração intoleráveis.)

...por RSR

3 comentários:

Roxanne disse...

ninguém disse que amar é fácil!

Jace Beleren disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sofia disse...

Dói tanto quando gostamos de quem não gosta de nós. Mas sabes? É só até ao dia em que tu encontras o teu verdadeiro amor. Claramente não era esse... algures, neste momento, há alguém a pensar como será conhecer alguém como tu ;)