terça-feira, 24 de novembro de 2009

Carta XXIII

Meu bem,

Sei que provavelmente não te deveria tratar assim. Terminamos, tudo acabou e já nem sequer te vejo. Dizes que não te incomodo e que ainda prezas a minha companhia mas fico na dúvida – será que isso ainda é amor ou é mera amizade? Não precisas de dizer que fui eu quem acabou, que nunca o terias feito. Não sabemos. Apenas senti que tinha de reagir. Já não aguentava mais ver a tua inércia, a forma como tu simplesmente não reagias àquilo que se passava… já não falavas daquilo que te preocupava e deixaste-me num vazio, numa angústia tal que nunca pensei ser possível de sentir.
Entreguei-me por completo a ti, tornei-te na ‘’minha prioridade’’, como tu um dia me disseste… Talvez me tenha precipitado e quiçá tenhas razão, que tinhas, nalgumas das coisas que dizias. Admito que possa ter sido prematuro terminar desta forma, mas a verdade é que nunca o quis fazer. Eu AMO-TE, com todas as minhas forças… não imaginas sequer o que sinto por ti. Não sei se dirás o mesmo de mim, se pensas que não te soube dar o valor. Porém, vejo que não me deixas chegar a ti, não vi em ti vontade e garra de lutar por mim. Se me amas (ou amas-te) como dizias que amavas, porque é que ainda não vieste atrás de mim? Porque é que quando fui ter contigo não me fizeste ver o quão errada eu estava, para que pudéssemos salvar-nos? Não pareces sentir o mesmo que sinto por ti.
Dei-te tudo o que tinha, tudo o que de melhor há em mim. Fiz tudo o que estava ao meu alcance. Lutei contra tudo e contra todos, ouvi o que não queria, defendi aquilo que sentia por ti, a ver de alguns rebaixei-me enquanto lutei por ti, perdoei coisas que dizias e não fazias só por te amar e por achar que tu valias a pena. Até podes não valer mesmo nada, aliás és uma merda, és um filho-da-mãe que não é capaz sequer de pôr o orgulho de lado por alguém que amas mas… eu não consigo deixar de pensar em ti. Estás em mim a cada minuto, tudo o que vivi contigo, o que dissemos, o que sentimos está cá dentro…
Já não aguento mais viver sem ti. Tenho saudades tuas… cada dia que passo sem ti, sem te ver, em que não falas comigo é um inferno. Não sei o que me deu para gostar assim de ti, nem te conhecia bem! Cativaste-me, conquistaste-me com esse teu ar inocente e casmurro. Rendi-me a ti e fizeste-me prisioneira. Entrego-te aqui as armas, apenas não consigo lutar mais contra algo que é tão forte, tão genuíno e tão nosso! Não fui capaz de apagar as tuas mensagens, as nossas fotos… O teu perfume, ainda o sinto. Os teus beijos e o teu calor ainda me fazem falta. Choro só de pensar que já não gostas de mim. Será que já me esqueces-te?
Estou perdida sem ti. Quero-te perto de mim como nunca quis ninguém. Nada nem ninguém preenche este vazio, este nó que há em mim.
Vem para o pé de mim. Luta por mim. Faz-me sentir viva outra vez, porque eu ainda te sinto em mim, tanto, mas tanto meu amor.
Por Arco-Íris.
_______________________
Obrigada pelo contributo. =)

6 comentários:

Lila* disse...

Pois...nao é facil!AS x tomamos atitudes precipitadas e ficamos a espera q a outra pessoa corra atras de nos!Arco-iris corre tu atras dele, afinal foste tu q o mandaste embora!Luta por ele:)

katie. disse...

Posso rever-me em metade das tuas palavras... beijinho

AquiloQueEuSou disse...

Lindo...sentido e muito sincero! Muito bonito..*

continuando assim... disse...

não desistas nunca :) beijo
tresa

Anónimo disse...

Muito lindo este texto.. Parabéns
Acho que todos os homens gostariam de ouvir isso de uma mulher ..
Diz-lhe isso a ele ......Aposto que ele ira para o pé de ti

Luis disse...

Se ele sentir por ti o que tu sentes por ele e se te faz feliz, why not?
Otherwise, a vida continua... O ditado bem diz: "Life's a bitch". Se não for ele a pessoa certa, há de ser outro, tens que dar tempo ao tempo por mais dificil que isso seja...

O que devia ter dito logo no inicio era: Segue o teu coração, ouve os teus instintos.