quarta-feira, 2 de junho de 2010

Carta XLII

Um dia passei pela tua rua. Mandei-te uma mensagem e encontrei-te ao virar da esquina. Vinhas da escola, ainda de mochila às costas. Usavas umas calças largas e quando me olhaste tive a certeza que gostavas de mim. Não nos beijamos. Nem sequer me lembro do que falamos. Não me pediste em namoro, nem me convidaste para sair.
Sei bem que descobriste muito mais tarde o quanto tinhas sido importante para mim depois de te ter falado sobre este dia. Podia ter falado de todos os outros. Até mesmo dos encontros casuais, ou no autocarro ou no comboio para a faculdade. Lembro-me de todos.
De teres cabelo curto. De falares comigo enquanto atravessávamos a rua. De vires almoçar comigo (e com as minhas amigas). De eu ter a certeza que não. Não! De estar em general Torres e apanhar o metro só para virmos no mesmo comboio. Lembro-me de ires sentado ao meu lado, de usares a expressão “snif, snif” com muita frequência. De estares tão diferente. E eu sempre a dizer que Não.
Perdi a noção do tempo. Nem sei bem quando te disse que sim. Eu não queria. Tu convenceste-me. Eu estava tão habituada a contar só comigo. Mas tu chegavas e dizias que eu ia mudar. Que um dia eu ia ser diferente. Que um dia só iria ser capaz de pensar a dois.
E voltei a perder a noção do tempo. Tivemos de combater tantos medos. E tu tiveste sempre a maior paciência do mundo. Aceitaste fazer piqueniques comigo, apoiaste-me quando fiquei longe de ti, proibiste-me de chorar tantas vezes mas também fizeste-me chorar outras tantas pelo simples facto de não estares comigo.
Contigo aprendi a sentir saudades. Deixei de gostar de dormir sozinha. Passei a comer muitos chocolates.
Fiz-te tantas surpresas. Escrevi-te tantas cartas. Deste-me presentes fantásticos e Levaste-me a sítios marcantes. Dormimos juntos em tantos sítios e prometeste-me que ficarias sempre comigo. Passei horas a sonhar contigo.
Adoras ver-me de vestido e bem vestida. Gostas que use sapatos altos. Mas eu prefiro sempre ficar agarrada a ti. Tu em compensação preferes os meus beijos. Já conseguimos dormir encaixados e sei que vou passar a vida toda abraçada a ti. Sou viciada no teu cabelo e proíbo-te de fazeres a barba.
Usas a tua camisa roxa nos nossos momentos, mas é ver-te de calções que eu gosto mais. Adoras o Porto mas queres que eu vá para Lisboa. Somos viciados em sofás e em ter casas só nossas. Obrigas-me a comer gelados no Verão e eu obrigo-te a beber chá no Inverno.
Fazes os melhores lanches de sempre. E de facto eu sou incapaz de te ganhar em qualquer jogo. E às vezes volto aquela rua. Volto às tuas mensagens às 3h da manhã e as nossas conversas iniciais até às 4h. Agora só queremos ficar juntos. E eu seria incapaz de passar um dia sem te falar. Mas muito mais do que isso. Eu seria incapaz de passar um dia sem ti. Tu estás sempre em todos os sítios e em todos os momentos.
E vês? Até aqui perdi a noção do tempo.
Por fim quero-te só dizer que a tudo isto eu chamo de nosso passado. E Tudo o que for escrito depois disto só vai conseguir deixar-me ainda mais feliz. Contigo é assim, eu sou sempre ainda mais feliz.

2 de Junho de 2010**



Por Lila.


________________________________________
Eles estão juntos há dois anos e eu acho-os perfeitos. Parabéns!

6 comentários:

helder disse...

parabens, lila*

Joana Carvalho disse...

tao lindo *.*

Vera disse...

Wow. Adorei a carta. Está tão simples tão completa.

Parabéns! :)

LaranjaLima* disse...

Parabéns queridos!!
Esse amor move montanhas

Quanto à carta... perfeitinha :)

Lila* disse...

:) A lila está mt feliz:)

Obrigada*

Nokas* disse...

Sempre escreveste tão bem =)