sábado, 3 de setembro de 2011

ou como ás vezes não sei o que prefiro.

Ás vezes, um amor é tão mas tão grande que parece que nos parte a meio. E, ás vezes, não ter este grande amor, parte-nos de igual modo. Ás vezes, o amor é uma merda. E, ás vezes, não ter um amor destes é uma merda igual.

14 comentários:

Andreia disse...

Nem mais ;)

Beijinhos***

Catarina disse...

tens toda a razão, infelizmente (:

Alexandre disse...

excelente observação do amor! :)

Joana T. disse...

Não podia concordar mais contigo...

Maria * disse...

Tão verdade! :')

Maria*, do mundo ao contrário.

cereais disse...

e apesar de tudo, não vivemos sem ele

Ana Torrado disse...

Olha agora é que tu disseste tudo!

=)

Sei Lá! disse...

I feel you girl....

http://euseilaseila.blogspot.com/

Girl in Motion disse...

deve ter sido das conclusões mais recentes a que cheguei.

Ana disse...

Resumindo: O amor é, quase sempre, uma merda!

Pedacinhos de mim disse...

Vivemos sempre na fronteira entre o querer e o perder, entre o agarrar ou largar. Mas olha que tens toda a razão :)

NaRiZiNhO disse...

Delicioso o que escreveste, mas isso é que o torna mágico. O risco de não sabermos quão grande será

Mysterious Girl disse...

mesmo Lua... neste caso não me parece que a ignorância seja felicidade..

Pipoca dos Saltos Altos disse...

É isso tudo... Bjs