quarta-feira, 9 de junho de 2010

Dizem que quando temos uma dor grande, temos de arranjar uma maior para a primeira ser esquecida.

Portanto, se eu cortar uma perna muito d-e-v-a-g-a-r-i-n-h-o a dor no coração desaparece?

17 comentários:

Suspiro disse...

As duas pernas... Sim isso é que era!

cronicasdeamor disse...

só o tempo

Di disse...

Não me parece....

Cat disse...

Oh querida! :/

PITA disse...

Lua uma perna só não ... é preferível doer as duas...lol (brincadeira)

Essa dor no teu coraçãozinho vai desaparecer dá tempo ao tempo, que ele cura tudo.

vais ver que quando menos esperares vai aparecer um amor tão tão grande que vai cobrir este ... mas a léguas de distância. ( a lógica é a mesma )

Lebasi disse...

A dor desaparece quando perceberes que TUA és a coisa mais importante da tua vida. Por isso deves rodear-te das pessoas que realmente te amam e deixar de parte aquelas que "não interessam". Acredita que eu falo por experiencia própria quando digo que o tempo cura tudo. Tudo mesmo.
Força rapariga e não te deixes ir abaixo.

Lebasi disse...

que TU*

Gabriel disse...

Eu mudava prá TVI.

Bunyssa* disse...

se calhar dava mais resultado vires a caminha e tratarmos dessas feridas...assim bem devagarinho, all night long!! :)

Lua Escondida* disse...

Ai Buny, que ideia m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-a! :D

Sophia disse...

Eu tb concordo com o conselho da tua amiga, agora cortares o que quer que seja, não.

(L)

Mafalda disse...

claro que sim... mas qd a dor da perna passar o coração ainda lá está ;)* *

Eu mesmo disse...

Um texto que escrevi 1 ano depois de o meu namoro ter acabado, custa mas pouco a pouco vai atenuando a dor. Se alguém tiver paciência para ler tudo, parabéns ;)

----

Nesse dia senti que não ia haver volta a dar, que nunca mais iria estar no teu quarto, que nunca mais ia estar abraçado a ti, que nunca mais ia passar bons momentos contigo, que nunca mais iria passear contigo, que nunca mais irias falar comigo de forma carinhosa, que nunca mais te teria por perto, que nunca mais nada seria igual.

Fui para a varanda chorar, ver por a última a vez aquele lugar, olhei à volta no teu quarto, tentando ganhar forças para poder ir dizer "Adeus" à tua mãe. Chorei no teu quarto, agarrado a mim mesmo sem saber o que fazer, queria fugir mas não tinha para onde ir, queria ficar mas já nada fazia sentido. Tudo parecia tão irreal... Lá me consegui controlar e pedi para ir embora, fui ter com a tua mãe e tentando esconder os olhos disse um simples "Até amanhã" e fui-me embora. Levaste-me até ao metro disse que não queria boleia... Pedi-te para me vires buscar ao Marquês pois não conseguia aguentar mais. Qualquer lado para onde olhava me lembrava de ti. Estava a chover, mas não queria saber, era uma forma de disfarçar as minhas lágrimas na rua. Finalmente apareceste e entrei no carro, fui a chorar o caminho que tantas vezes tinha feito contigo. O caminho que tantas vezes percorremos quando me ias deixar ao barco, mas desta vez era a última que o percorrerias comigo. Chorei o caminho todo a pensar no que tinha perdido e no que nunca mais voltaria a ser. Chegámos e fiquei a chorar no carro sem forças para sair, pedindo por tudo para que não me deixasses. Cheguei a casa e esforcei-me por não chorar à hora do jantar, não sabia o que fazer, estava desesperado.
Pedi para te telefonar, mas só conseguia sentir calma e tranquilidade na tua voz, quando eu estava tão assustado e perdido. Só desejava que tudo tivesse sido um pesadelo e que acordasse a qualquer momento. No outro dia tinha exame não sabia como o iria fazer... Por milagre consegui ter cabeça para o resolver... Mas depois?? Onde estava o passeio que eu costumava dar contigo? Onde estava o abraço? Onde estavam os beijos? Tudo perdido e eu sem saber o que fazer...

A partir daí já eu sei a história decor, o sofrimento constante, o aperto no peito, a vontade de estar contigo, o ciúme e raiva de ter ver com outro, a tristeza de ter perdido tudo, a obsessão de voltar atrás e fazer tudo diferente, a esperança de que voltasses para mim, as tentativas para que visses que poderia resultar...

Tudo me foi negado... Disseste-me mais tarde que tinha sido a melhor decisão para ti, negaste-me um abraço e simplesmente esqueceste tudo aquilo porque tínhamos passado, todas as promessas e sonhos que destruíste sem dó nem piedade. Sofri de uma forma que não achava possível, desesperei por ficar bom, mas a dor não acalmava e os dias eram um tormento.

Eu mesmo disse...

Cumpri a última promessa que te tinha feito, por mim especialmente e também por ti. Mudei porque não estava bem, mudei porque precisava. Mas isto já tu não quiseste saber.

Não imaginas o que foi para mim...

E não sei se é so invenção minha mas se é mesmo real, mas sinto um aperto no coração...


Hoje estou sozinho, feliz e mudado...
Ela namora à quase um ano, é feliz e está mudada...

Tanta coisa que mudou na minha vida... E tudo acabou e começou neste dia, nesta hora, à precisamente um ano atrás...

A cicatriz ficou cá e tal como uma ferida real, como uma ferida profunda, repuxa quando o corpo se lembra de como foi feita.

Apenas sinto alguma saudade e tristeza, mas também me sinto bem por saber o quanto aprendi e mudei.

Talvez tivesse de acontecer, nunca saberei, a única coisa que sei é que se fosse por mim nesse dia nada teria acontecido e ainda hoje poderiamos estar juntos, hoje sei que te amei e que não foi um sentimento fugaz, como tu me deste a entender que foi o teu. Deste dia fica apenas a lembrança do amor que senti por ti e daquele sofrimento inexplicável que senti quando me deixaste.

Ainda bem que és feliz e isso que todos devemos ser.

Sei que tens medo de olhar para o passado, eu não tenho pois espero nunca mais cometer os mesmos erros que me provocaram tanto sofrimento.

Que mais um ano se passe cheio de alegria e saúde.


-----


The End

Lua Escondida* disse...

Eu mesmo: Eu sei que o inicio é lixado e queremos morrer para a vida mas também sei que o tempo é o nosso melhor amigo. O problema é que o tempo parece que não passa e passamos a nossa vidinha a pensar e a lembrar coisas que não queremos/devemos. Mas gostei muito do teu texto, está tão real, tão verdadeiro...

...e devias mandá-lo para o desafio das cartas :D

Eu mesmo disse...

Obrigado por teres lido o texto.

Foi um texto escrito com aquilo que ficou marcado no meu coração, uma tentativa de pôr em palavras aquilo porque passei e senti.

E segui a tua proposta e enviei para o desafio das cartas.

Sofia disse...

Se resultar avisa... oh, não, eu não quero que cortes uma perna. Deixa lá. Há-de haver outra maneira...