sexta-feira, 2 de abril de 2010

Acho que quero viajar muito.

Nunca acreditei tanto como hoje que a distância é a melhor coisa que pode acontecer. A distância faz-me sonhar e delirar. E faz-me ter saudades e querer matá-las e faz-me imaginar os abraços e beijos e as palavras ditas no reencontro. Mas depois nada do que imaginamos acontece. Nada. Quando a distância acaba fica tudo igual,  demasiadamente igual. Quando as coisas são boas continuam boas, quando são más continuam más. E acabam-se as borboletas na barriga e os sonhos e o friozinho no estômago e a dor no peito de saudades. A distância faz-me [fez-me] sonhar. E o estarmos perto faz-me voltar a pousar os pés em terra firme. E eu não gosto disso. 

5 comentários:

Sophia disse...

E eu percebo-te tão bem Lua (L)

Raquel Granja disse...

no fundo eu tambem percebo o que é isso!

Su disse...

Percebo-te...!
No entanto... muitas vezes prefiro não sentir essa distância...

Beijinhos *.*

Sophie disse...

Mas Lua as pessoas separam-se com a distância...
Nem sempre as coisas ficam as mesmas... Nem sempre!

O meu sonho é (bem.. continua a ser...) viver noutro país... Num período maior que 6 meses...
Era mesmo ir ali para terras de Obama...
Vou-me distanciar muito de muitas pessoas... Mas se for com a pessoa que eu desejo ir, tudo ficará bem.

Vais com a pessoa que queres ir? :)

Beijinhos fofinha, e boa Páscoa :D **

Sabor Adocicado* disse...

Exactamente o que sinto de cada vez qe o reencontro